segunda-feira, 24 de maio de 2010

Confissões inconfessáveis

Segunda-feira, 24 de maio de 2010, 04:42
Olá minha querida, há quanto tempo não conversávamos, não é mesmo? Sinto falta de falar com alguém e estou realmente precisando desabafar. Não sei dizer ao certo como vão as coisas por aqui, talvez seja porque está tudo bem demais e eu, neurótica que sou, fico incomodada com isso. Na realidade, sempre tem algo me incomodando, nunca sei o que é, mas sei que nunca estou completamente satisfeita. Não sei se exijo demais das pessoas, ou se fico sempre esperando algo de novo, de diferente, ou se exijo demais de mim mesma e acabo me decepcionando de vez em quando. A questão é, sempre que as coisas vão entrando nos eixos, as vozes em minha cabeça insistem em não querer deixar que eu me acomode com situações cômodas. Sabe querida, o que acontece comigo aparenta ser mais complexo que para as pessoas, vejo os outros, todos parecem tão decididos, tão firmes, e eu sempre com "um pé atrás", sempre instável. Sim fofa, sei que sou paranóica e posso acabar complicando coisas simples(sempre faço isso), mas meus pensamentos sempre fogem dos seus lugares, confesso, estou com medo de mim mesma.
Eu não tenho certeza se vivo intensamente, se me apaixono de verdade, não do mesmo jeito que as pessoas se apaixonam, mas eu simplesmente não tenho certeza se amo da mesma forma com que sou amada, isso é demasiado complexo e são pensamentos que nunca me saem da cabeça. Não sei se estou feliz, não sei se eu sei  o que é felicidade de fato. Como se não bastasse, existe um passado que ainda está presente, que não me deixa em paz. Um passado que ainda não passou. E isso me prende, num meio termo, no meio de um nada, na incerteza. Diga querida, acha que isso é loucura? Insanidade? Ou qualquer coisa do gênero? Já cansei de ouvir que sou estranha, maluca, sei que penso diferente, sinto diferente, vivo diferente. Sei também que não é novidade para você nem ninguém. Mas sabe, já tem tanto tempo que é assim, estou me acostumando, as vozes na minha cabeça nunca vão me deixar, os fantasmas não vão desaparecer, e eu só espero aprender/conseguir lidar com isso. Bom, obrigada por me ouvir querida, só isso, já ajuda muito.
Um beijo.

Um comentário:

  1. Show este papo de amigas...Na verdade tem uma AMIGA INVISÍVEL como eu tenho nénão? A minha se chama Ruth, ela é uma doidivana e nunca me contesta, me critica ou me dá ordens... Não tenho pudores ou receios com a Ruth e vez ou outra fazemos uma DR-Discutimos nossa Relação, ela sempre me ganha...kkkkk. Bjitos amei este surto... Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir

Por você, mesmo.