sábado, 30 de janeiro de 2010

Melhores de 2009

Impossível lembrar de tudo. Enfim, na minha opinião:
Melhor Presente do ano: Um álbum de fotos e um jeans colcci
Melhor Livro: Harry Potter and the deathly hallows
Melhor Filme: Nick & Norah
Melhor Compra do ano: All Star Premiere OX W
Melhor Comida: Macarrão ao alho e óleo
Melhor Bebida do ano: Chopp
Melhor música: Spaceman e My Propeller
Melhor cd do ano: Humbug-Arctic Monkeys
Melhor Viagem: em maio para Uberaba-MG
Melhor download: CD Day & Age do The Killers
Melhor programa de tv: Quinta Categoria
Melhor balada do ano: Baile de formatura da turma de pedagogia da Uniube
Melhor look do ano: vestido coquetel+sandáliagladiadora
Melhor site: jacksonpollock.org
Melhores amigos do ano: Denise, Priscilla e Douglas
Melhor brinde: Viva la vida
Melhor frase: Se eu pudesse faria o mundo se guiar pelos ouvidos ao invés dos olhos- Joss Stone

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Efeito contrário

É fato. Há pessoas que simplesmente não conseguem entender ou processar a ideia de que nós, quando colocamos sentimentos, sacrificamos coisas, situações muito importantes por essas pessoas. É um tanto complexo, mas ás vezes, fazemos isso sem perceber. Estar diante de uma decisão, uma escolha onde há duas ou mais opções já não é nada fácil [para seres humanos como eu, por exemplo], quando tal decisão envolve pessoas importantes - Pausa - Definamos pessoa importante: aquela que desperta sentimentos agradáveis, que faz bem ao outro, que cativa, faz feliz, necessita de sua presença... - quando tal decisão envolve pessoas importantes a situação vai ficando cada vez mais difícil, óbvio que, nós tentamos fazer com que todos saiam ganhando depois de decidir. Sentimentos são coisas bizarras, nos transformam, nos surpreendem, fazemos coisas as quais chegamos a desconhecer e em situações parecidas não é diferente. Sacrificamos escolhas, o que sentimos, em favor do outro, para proteger o outro, para que o outro fique bem. Enfim, esquecemos de nossas razões e deixamos de pensar em nós mesmos para pensar no outro, na felicidade do outro. E não que essa escolha seja algo que de essa outra pessoa aprove, quem dera, em diversas vezes, escolhemos contra a vontade do outro porque o outro também está de fato pensando em nós. Entende? É complicado. Nasce daí um outro sentimento, a mágoa, acompanhada da decepção, por estar, muitas vezes, decidindo em nome do bem estar de outra pessoa, esta que por sua vez discorda de tal decisão. Isso é sentimento sim, um sentimento bom, caridoso até, mas que muitas vezes ninguém consegue compreender. Eu confesso que estou tentando, tentando fazer com que algumas pessoas que são de suma importância para mim entendam a ideia de que faço muitas coisas, algumas erradas, muitas escolhas contraditórias pensando nelas, sempre nelas. Acabo magoando, fico magoada, mas são essas pessoas que movem minhas decisões, são por essas pessoas, que procuro ser uma pessoa melhor e quem sabe favorecer relações harmoniosas no futuro.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Se conselho fosse bom... a gente não dava, vendia

"A vida é curta, quebre regras, perdoe rapidamente, beije demoradamente, ame de verdade, ria descontroladamente e nunca pare de sorrir, por mais estranho que seja o motivo.
E lembre-se que não há prazer sem riscos.
A vida pode não ser a festa que esperávamos,
mas uma vez que estamos aqui, temos que comemorar!!!"
- - - - - - - - - - - - -
saudades foram feitas para serem matadas antes que elas nos matem. E confesso, não gosto da ideia de sentir saudades sempre, uma hora ela acaba me consumindo.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Groove

Que minha vida é mais complicada que a teoria do SUS não é novidade pra ninguém. Mas sou um tanto quanto responsável por isso também. Cansei de relevar. De deixar pra lá. De tanto faz. Resolvi levantar para brigar com meus pensamentos e sentimentos. Eles vão ter de ceder. E ai deles se não cederem. Vai ser do meu jeito agora.
Sobre o ano novo: Vamos comemorar por estarmos vivos e jovens.